Morro de São Paulo

 

Alagoinhas

 

.......Alagoinhas é um município brasileiro do estado da Bahia. Sua área é de 734 km² e sua população conta em 2014 com 193 560 habitantes, tendo portanto uma densidade demográfica de 195,46 hab/km².

Limita-se ao norte com o município de Inhambupe, ao sul com o município de Catu, a leste com o município de Araças, a oeste com o município de Aramari, a nordeste com o município de Entre Rios e a sudoeste com o município de Teodoro Sampaio.

.......Seu nome se deve aos rios Sauípe, Catu, Subaúma e Quiricó, às lagoas e córregos existentes na região. E assim sua água é considerada de excelente qualidade e pode ser considerada a 3 melhor do mundo, sendo uma de suas maiores riquezas, e que faz parte do aqüífero que vai desde Dias d'Ávila a Tucano.

.......Alguns alagoinhenses se destacaram bastante no campo da literatura, como Maria Feijó, José Olívio Paranhos Lima, o jovem escritor, Gabriel Matos, o poeta, dramaturgo Lázaro Zacariades, o poeta, professor e pesquisador acadêmico Ednaldo Soares, publicado no Brasil e na Itália, e o escritor e editor Adson Vasconcelos, formado pela Unicastelo (SP) e mestre pela USP como aluno ouvinte.

 

........O Polo de Bebidas de Alagoinhas está cada vez mais forte desde a ampliação da Brasil Kirin, da entrada em funcionamento da indústria de refrigerantes peruana São Miguel e da fábrica de latas de alumínio da Latapack-Ball, empresa que investiu R$ 240 milhões e criou 520 novos empregos diretos e indiretos na região.

 

 

 

Alagoinhas é destaque na industria de cervejas e refrigerantes

 

 

Dicas:

 

Vale a pena visitar as ruinas da igreja de Alagoinhas Velha

 

 

 

 

Economia

........Segundo dados da SEI e IBGE, o PIB do município em 2003 foi de R$ 627,94 milhões, que evoluiu para R$ 824,402 milhões em 2004. A estrutura setorial está distribuída em 3,61% para agropecuária, 46,27% para indústria e 50,12% para serviços.

Em 2001, foram registrados no município 34.181 consumidores de energia elétrica, que totalizaram um consumo de 101.227 mwh.

 

Primeiro setor

........Alagoinhas se destaca na produção agrícola de limão (maior produtor baiano), abacate, laranja (3º maior produtor baiano), de batata doce (10º maior produtor baiano) e de amendoim (11º maior produtor baiano).

No setor de bens minerais, é um grande produtor de areia, argila e pedra.

 

Segundo setor

........Segundo a Junta Comercial do Estado da Bahia (JUCEB), o município possui 669 indústrias, ocupando o 13º lugar na posição geral do estado da Bahia, e 3.711 estabelecimentos comerciais, 14ª posição dentre os municípios baianos.

 

Terceiro setor

........Seus serviços crescem bastante, desde a descoberta dos poços de petróleo e da implantação da ferrovia, ampliando os serviços para os municípios vizinhos também. E seu parque hoteleiro registra 500 leitos.

........Possui diversos outros serviços com qualidade reconhecida nacionalmente. Servida por diversos estabelecimentos de ensino de nível fundamental a superior. A nível da saúde é servida principalmente, pelo Hospital Regional Dantas Bião e Maternidade de Alagoinhas. Alguns serviços médico especializado são realizados na cidade, evitando assim o deslocamento a capital do estado, Salvador, em busca de atendimento.

 

História

........Seu povoamento foi iniciado no final do século XVIII, quando um padre português fundou uma capela no seu território e daí começou a próspera vila em função da chegada de imigrantes e da passagem da estrada de boiadas, acesso para o norte e para o sertão, motivo do título dado por Ruy Barbosa de "Pórtico de Ouro do Sertão Baiano".

........Enquanto vila, Alagoinhas recebeu vários nomes, os quais foram Freguesia da Água Fria, Freguesia de Santo Antônio das Lagoinhas e posteriormente Villa de Santo Antônio d'Alagoinhas. Este último nome, foi o último como vila, que depois foi desmembrada da Vila de Inhambupe, para ser emancipada como Município de Alagoinhas.

........Em volta da igreja de Santo Antônio várias casas foram construídas, desse modo o povoado foi elevado a vila, através da Resolução Provincial 442 de 16 de junho de 1852. Mais tarde, do mesmo modo, causado pelo desenvolvimento da vila, que era gerado e norteado pela estação ferroviária, a qual era o centro de atividades econômicas, devido ao grande fluxo de pessoas e mercadorias, foi elevado a município de Santo Antônio de Alagoinhas, sendo desmembrado do município de Inhambupe.

........Segundo o IBGE, o distrito de Alagoinhas foi criado no dia 15 de outubro de 1816, pertencendo a Inhambupe até 16 de junho de 1852, quando se tornou um município. A emancipação política de Alagoinhas foi oficializada há 153 anos, no dia 2 de julho de 1853, com a posse da primeira Câmara Municipal e do presidente do Conselho, o coronel José Joaquim Leal.

........Em 1964 foi descoberto um poço de petróleo no município, o MG-1-BA. Três anos depois já havia 30 poços, motivo que fez com que a Petrobras se instalasse no município, gerando seu desenvolvimento e aumentando os investimentos, mas também crescimento desordenado, deixando várias pessoas sem saneamento básico e acesso aos serviços de saúde.

........Com o desenvolvimento ferroviário e a descoberta de poços de petróleo, Alagoinhas cresceu bastante economicamente, tornando-se pólo de sua região. Se voltou aos serviços, portanto seu desenvolvimento se deu, principalmente, no comércio, polarizando mais de 30 municípios vizinhos.

 

Estação de São Francisco

 

........Foi através da Lei nO 641, de 26 de junho de 1852, sancionada pelo Governo Imperial, que se abriu em todo território brasileiro a concessão para companhias que se propuzessem construir estradas de ferro.

........Assim foram construídas entre outras, a Estrada de Ferro Bahia ao são Francisco, a Central da Bahia, o ramal do Timbó. A primeira dessas estradas vai contar com verbas Provinciais no prolongamento feito de Alagoinhas a Juazeiro. O empreendimento foi ousado: a construção de uma estrada de ferro ligando a capital da Provincia ao interior. Nos mostra a legislação provincial na Lei nO 450 de 21 de junho de 1852, a concessão "à Companhia composta de membros da Junta da Lavoura e outros Proprietários desta provincia o privilégio exclusivo por 40 annos para abertura de uma estrada..sobrelinhas de madeira ferrada, desta capital para villa de Ju&zeiro". Como não foi levado a frente este empreendimento, o governo imperial concedeu a Joaquim Francisco Alves Branco Muniz Barreto a concesão da construção da referida estrada, mediante a garantia de juros de 5% anuais, segundo o Decreto n° 1299, de 19 de dezembro de 1853.

........Dois anos depois, organiza-se em Londres a Bahia and S. Francisco Railway Company a qual se passou os direitos de concesão através do Decreto n° 1615. Com a chegada do capital inglês, no ano seguinte - 1856 foi data do início da construção - quatro anos depois era entregue ao tráfego o primeiro trecho da estrada até Aratu. Nesse mesmo ano os trilhos atingiram o rio Joanes. Grande número de Operários estrangeiros foram usados na obra: 446 italianos, 107 ingleses, 11 alemães, 4 franceses, 2 suiços e 2069 brasileiros.

........A 13 de fevereiro de 1863, é inaugurado o trecho Salvador-Alagoinhas num total de 123 km. Continuando sob a administração da companhia inglesa, foi a estrada resgatada em 1901 e arrendada provisoriamente a Jeronymo Teixeira de Alencar Lima e Austricliano Honoria de Carvalho, com a denominação de Estrada de Ferro da Bahia ao S. Francisco. Em 1909 passa a ser conhecida como Companhia Viação Geral da Bahia, da qual é sucessora a Companhia Viação Este Brasileiro. De 1911 a 1935 esteve arrendada a uma Companhia Francesa, sendo depois incorporada ao Governo.

........Sua importância cresce com os prolongamentos feitos posteriormente para Juazeiro (1871) e Sergipe (1881), e um marco que ficou até nossos dias foi o importante edifício, construído nos moldes ingleses, para sede da estação em Alagoinhas, além de várias obras d'arte.

........Como foi citado, em 1863, foi aberta ao público o trecho ferroviário ligando a capital da província a então Villa de Alagoinhas. "Estas ferrovias construldas por empresas estrangeiras mediante empréstimos com garantia governamental de juros mínimos, além de outras regalias, eram um alto negócio em si mesmas, independente do lucro de operações que viessem a propriciar. ........................Multiplicavam-se por esta razão, ligando os principais núcleos produtivos do interior do país à diversos portos representando um extraordinário progresso para as áreas que atravessavam", escreve com muita propriedade Pietro Maria Bardi no trabalho "Lembranças do Trem de Ferro".

........Segundo considerações submetidas Provincial em 1862 dizia o Engenheiro Fiscal:

"O Distrito de Alagoinhas (onde chegará a Via ferrea) ficará sendo o centro para onde serão convergentes os vários dos Districtos que para ali por necessidade e comodo levarão seus productos de exportação e importação as mercadorias que lhes são necessarias, será pois Alagoinhas um entreposto comercial, que exportará pela Via ferrea assucar tabaco, gado de muitas espécies e cereais além de outras muitas produções que fará aparecer o facil transporte pela via"

Uma descrição do município de Alagoinhas feita em 1866, nos diz a seguinte visão:

"Até 1866 a atual cidade constava apenas de umas 4 casas de telha junto ao rio, de um trapiche, das acomodações da estrada de ferro e de uma meia dúzia de casa de palha perto do barracão da dita estrada.

........Chamavam a esse insignificante lugar simplesmente - a ESTACÃO.

 

........A Vila achava-se distante meia légua em posição elevada, no principio de um grande tabuleiro".

Dois anos depois, por Resolução Provincial n° 1013 de 16/04/1868 a sede da Vila foi transferida para o local onde fora erguida a Estação da Estrada de Ferro, distante 3 km. Segundo os relatos publicados sobre Alagoinhas, essa nova povoação teria tido início graças a iniciativas de um alagoinhense chamado Pedro Rodrigues Bastos, que estabeleceu-se comercialmente no ponto terminal da estrada de ferro, sendo seguido por outras pessoas.

........Esse núcleo inicial prosperou e a antiga Sede passou a ser conhecida como Alagoinhas Velha.

EDIFICIO DA ESTAÇÃO

........Sua construção liga-se ao momento em que, pela Lei n° 1953 de 17/07/1871, é autorizado o prolongamento da estrada até Juazeiro.

........Segundo a tradição oral, teria sido obra dos ingleses, o que nos faz aceitar tal hipótese, já que nesse perlodo a Estrada de Ferro era administrada pela Railway Company.

........Para o prolongamento da Estrada de Ferro até Juazeiro, depois de aprovados os estudos, foi dada autorização pelo Ministério da Agricultura e aberta concorrência em 9/3/1876. Em outubro desse mesmo ano iniciaram-se os trabalhos que, segundo o contrato, deveriam ficar prontos em cinco anos, mas só onze anos mais tarde foi aberta ao público.

........A Estação de são Francisco teve sua construção iniciada no dia 25 de Outubro de 1876, com a solenidade de assentamento da primeira pedra, pelo então Presidente da provincia Dr. Luiz Antônio da Silva Nunes.

........No ano seguinte o Desembargador Henrique Pereira de Lucena trata do prolongamento fazendo a seguinte colocação a respeito do local escolhido para a Estação:

........"A sahiada de Alagoinhas ... pareceu-me muito defeituosa e pouco conveniente pois que ter-se-ia de partir da estação da companhia inglesa, logo em curva ... entretanto, pouco antes desta estação junto a estrada da Capella Rajador, ao lado da estrada inglesa excelente local havia não só para a nossa estação e suas dependencias, como para a baldeação de cargas e viajantes de um para outro trem, e tudo isso, com a considerável vantagem de poder a estrada ficar em uma recta..."

........A respeito da escolha do local, o Engenheiro Fiscal Firmo José de Mello, comunicou em oficio de 9 de janeiro de 1863 sua opinião a respeito tendo em vista que "afastando-se do litoral não se encontram grandes focos de população e comércio ... para obter maior lucro em vez de estabelecer Estações nos lugares mais importantes, somente erguer muitas pequenas e liqueiras em todos os pontos..."

........O que não foi levado em consideração, quando se observa a imponência de construção da Estação de São Francisco.

No trabalho de construção foram empregados materiais importados como os postes de sustentação da abóbada de origem inglesa e telhas francesas. Chama atenção sua cobertura metálica sobre as plataformas como treliça em arco. Registra-se a data de 18 de novembro de 1880 como a de sua inauguração.

........No periodo em que assumiu o Governo do Estado, José Marcelino visitou Alagoinhas e a população local adorou a Estação conforme noticiou o Correio de Alagoinhas de 11.03.1896.

........A carência de relatório na Biblioteca da Rede Ferroviária deixa um vazio no aspecto da construção. Esse material é encontrado com certa regularidade nos primeiros decênios do século XX. Nesses relatórios, na sua maioria muito bem detalhados à nível técnico, retiramos algumas noticias acerca da conservação dos imóveis.

........No Relatório de 1911, apresentado pelo Ministro de Estado da Viação, Dr Barbosa Gonçalves, diz:

"VIA PERMANENTES, Edificios e estações - Fizeram-se reparos em quase todas as estações e edificios desta linha, inclusive na casa dos agentes e conferentes, mestre de linha e no barracão de mercadorias em Alagoinhas".

........Como vimos não trata do edificio da Estação. Bom lembrar que nesse ano, por Decreto de 11 de outubro de 1911, passou a Estação de Ferro a ser administrada pela Compagne de Chemins de Fer Federaux de L'Est Brasiliens.

........Em 1929, o Conselho Municipal em Ata da 2ª Sessão do 1° periodo do Legislativo, fez constar uma indicação do Conselheiro José Gabriel, para que seja dado a Estrada de S. Francisco, o nome de Estação Moreira Rego em homenagem ao Comendador Pedro Moreira Rego. Apesar da proposta o nome não foi mudado.

 

Geografia

........Localizado no leste da Bahia, com uma área de 734 km². Está situado nas unidades geomórficas dos Tabuleiros do Recôncavo e dos Tabuleiros Interioranos. De clima quente e semi-úmido, possui uma vegetação de floresta estacional semidecidual e de parque sem floresta de galeria.

........Sua geologia, pode ser resumida em, segundo a CEI e IBMB 1993-1994, arenitos médios e grosseiros, conglomerados / brechas, paraconglomerados.

........A cidade é servida pela malha rodoviária e ferroviária. A BR 101, que corta o Brasil de Norte a Sul, serve a cidade fornecendo importante acesso e meio de escoamento de produtos para cidades do Nordeste como Recife e Aracaju e cidades tais como Vitória e Rio de Janeiro no Sudeste do país. Também corta a cidade a BR 110, que a une ao Nordeste pelo interior da região. A ferrovia possui na cidade, além do seu papel histórico, um entrocamento que já foi de grande importância para o país e teve o seu declínio de acordo com a subvalorização do transporte ferroviário no país. Possui ainda rodovias estaduais que liga a cidade a BR 116 e também a Linha Verde.

 

Cultura

Alagoinhas possui manifestações culturais muito diversificadas, que passam pelas folclóricas, pagãs, religiosas e outras.

 


Agenda Cultural confira tudo que acontece nas melhores festas de Alagoinhas, São João, Carnaval, Micaretas no interior e as festas de padroeiras. Horários de shows, programação cultural com bandas, artistas e as tradições locais

 

Veja mais...

 

Reservas de Hoteis & Pousadas

Hotéis & Pousadas

Hotel & Pousadas

Informações dos melhores hoteis e pousadas de

Alagoinhas

.

......Com uma rede hoteleira extensa temos hoteis e pousadas para todos os gostos, isso com um excelente custo benefício

 

veja mais

 

 

ARTESANATO

Artes

A arte de tecer no tear

 

.......a arte de tecer nos teares manuais. São teares rústicos, onde famílias inteiras produzem tapetes, redes, colchas, almofadas, entre outros. A manufatura de tecelagem e crochê, fazem de Canindé um singular pólo de artesanato.


veja mais

 

CULTURA
Cultura

Folclore

Grupos folclóricos é a marca da cultura da Bahia

 

...........Bumba meu boi, boi-bumbá ou pavulagem é uma dança do folclore popular brasileiro, com personagens humanos e animais fantásticos, que gira em torno da morte e ressurreição de um boi.

 

veja mais

 

Como Chegar
Como Chegar

Como Chegar:

Seja de ônibus, carro, avião,

 

.......A 100Km. da capital Salvador a cidade é servida pela malha rodoviária e ferroviária. A BR 101, que corta o Brasil de Norte a Sul, serve a cidade fornecendo importante acesso e meio de escoamento de produtos para cidades do Nordeste como Recife e Aracaju e cidades tais como Vitória e Rio de Janeiro no Sudeste do país. Também corta a cidade a BR 110, que a une ao Nordeste pelo interior da região....

 

veja mais

 

Casas para alugar

Imóveis veiculos  comprar vender ou alugar

IMÓVEIS / VEICULOS:

Seja para comprar vender ou alugar

 

      Dispomos de imóveis para todos os gostos e na medida certa.

Aluguel anual, temporada, diária ou como você desejar.

Para vendas dispomos de: Casas, apartamentos, fazendas, sítios, chacaras, ilhas, hoteis, pousadas, lotes e terrenos...

 

veja mais

Industria & Comércío

Comércío:

Industria de Bebidas

 

.......O Polo de Bebidas de Alagoinhas está cada vez mais forte desde a ampliação da Brasil Kirin, da entrada em funcionamento da indústria de refrigerantes peruana São Miguel e da fábrica de latas de alumínio da Latapack-Ball, empresa que investiu R$ 240 milhões e criou 520 novos empregos diretos e indiretos na região


 

veja mais

Esporte & Lazer
Esporte & Lazer

Litoral Norte

Lazer e entretenimento em um só lugar.

.......

......Em Alagoinhas são poucas as opções de lazer geralmente as pessoas nos fins de semana vão para os clubes e balneários da cidade ou as praia do Litoral Norte...

 

veja mais

COMENTÁRIOS
Cangaço no Sertão

Maria Feijó

Escritora Alagonhense.

 

      .......Maria Feijó de Sousa, também cohecida como Marijó, (Alagoinhas, Bahia, 27 de novembro de 1918) é uma bibliotecária brasileira.

Em 1953, conclui o curso superior de Biblioteconomia no Rio de Janeiro, vindo a atuar na profissão de bibliotecária na Biblioteca Regional de Copacabana, chegando a ser chefe na Biblioteca da Gávea

 

veja mais

GASTRONOMIA
Restaurantes/Gastronomia

Culinária Regional

 

.......A gastronomia de Alagoinhas é bem diversificada pode se provar a rabada, o bode assado ou guisado, a galinha de capoeira, o doce de leite, o peixe frito, ou em moquecas, dentre eles a tilápia, são opções do vasto cardapio que a região oferece...

 

veja mais

FESTAS TRADICIONAIS
Micareta de Alagoinhas

Alafolia Carnaval Fora de Época

Alagoinhas cidade das águas.

.......O resgaste do Alafolia vai valorizar a nossa cultura e, ao mesmo tempo, vai gerar emprego e renda. O carnaval de Alagoinha voltará a ser reconhecido em todo o Brasil”, afirmou Paulo Cezar. A festa está sendo divulgada em todo o território baiano e também no vizinho estado de Sergipe...

 

veja mais

VIDA NOTURNA
Vida Noturna

Bares, Restaurantes, Shows e Passeios.

 

.......A vida noturna é bastante variada você pode escolher um bom jantar, barzinho com som ao vivo desfrutando do típico forró nordestino ou as praças como é tradicional nas cidades do interior. Se preferir dançar, são varios shows e eventos em toda região...

 

veja mais

MONUMENTOS
Monumentos Históricos

Estação São Francisco

 

........... .A estação São Francisco, em Alagoinhas, a cerca de 123 km de Salvador, foi aberta em 1880 ainda com linha em bitola larga - 1,60m. Isto ocorreu 17 anos depois da abertura da linha pois foi nesse local, 600 metros antes da estação de Alagoinhas, que era ponta da linha da Bahia-São Francisco Ry., que se decidiu colocar a saída dos trilhos para a linha do "Prolongamento", como era chamada a linha para Juazeiro na época.

 

veja mais

 

 

 

 

News Letter

CADASTRE SEU E-MAIL
E RECEBA CORRESPONDÊNCIA COM PROMOÇÕES

 

Horóscopo do Dia

 

publicidade

.

tempo
Alagoinhas - Bahia
enquete
Você gostou da cidade?
Sim.
Não.

 

 

puiblicidade

 

 

buscar


contato@tvdonordeste.com.br
Salvador - Bahia - Brasil

© 2018* All rights reserved - Tv Nordeste